Banda entrega mais de 200 cestas

Maior bloco carnavalesco da Amazônia, a Banda do Vai Quem Quer realizou na manhã de ontem a entrega de 280 cestas básicas às entidades filantrópicas Aconchego da Vó Maria, Núcleo de Apoio à Criança com Câncer (NACC), Associação dos Moradores do Parque Buritis, Mães Solidárias, Instituto Cultural Educação Espírita André Luiz e a Associação Folclórica de Cultura Estrela de Fogo. Resultado de ação solidária que acontece há quatro anos, a entrega das cestas foi marcada por apresentações do grupo de danças e crenças boi-bumbá Estrela de Fogo, na sede da Banda. “Gratidão é a palavra que melhor expressa nosso sentimento porque essas cestas vieram em boa hora e serão muito bem recebidas”, disse Naiara Soares, secretária executiva do NACC. Segundo ela, com esse ato a Banda está ajudando mais de 300 pessoas, entre crianças que lutam contra o câncer, e acompanhantes.

Outra entidade beneficiada foi o Aconchego da Vó Maria, que há 16 anos atende crianças carentes no bairro Lagoa, zona Leste da capital. “Os pequenos chegam, tomam café, merendam, almoçam e são muito felizes, porque a gente trabalha com amor e carinho”, disse a Vó Maria. As doações foram feitas por foliões que, em troca dos alimentos, receberam chapéus de sambista personalizados. O tema escolhido pela Banda em 2018 é “Para o Brasil voltar a ser campeão não reeleja político ladrão”. De acordo com Siça Andrade, presidente da BVQQ, a expectativa é de que mais de 100 mil pessoas acompanhem o desfile que acontece no sábado, dia 10.

Desfile prevê homenagem a manelão

O percurso será mantido no trajeto tradicional, com a concentração às 16h na Praça das Caixas d’Água e término às 22h na confluência das avenidas Sete de Setembro e Farqhuar. Durante o percurso pela rua Joaquim Nabuco, mais especificamente em frente a atual sede do bloco, um minuto de silêncio será feito em memória a Manoel Mendonça, o conhecido Manelão, fundador da Banda. “Nossa sede museu era a casa onde ele morava e onde morreu, e onde hoje a gente mantém todas as camisas da Banda, todos os quadros e bonecos. Então quando a Banda passar aqui na frente vamos todos silenciar como forma de honrar a memória dele”, disse, emocionada, Siça Andrade, atual presidente da BVQQ e filha de Manelão. O famoso ‘General da Banda’ faleceu em 2011 devido a paradas cardíacas. Ele fundou o bloco da Banda do Vai Quem Quer na década de 80 e marcou a história cultural e carnavalesca da Região Norte.

Tema foca política e futebol

Segundo Silvinho Santos, compositor e diretor musical da Banda, neste ano um dos focos das marchinhas é criticar o cenário político atual. “Carnaval é diversão e alegria, mas a Banda também se preocupa em levar para as pessoas uma mensagem que as faça refletir. É uma de nossas responsabilidades sociais, além de pregar um carnaval não violento”, destacou.

A presidente Siça Andrade ainda ressaltou que durante os 38 anos de Banda a política sempre foi levada às ruas para discussão. “E esse ano a gente veio com o tema duplo que é política e futebol, por ser ano de copa do mundo. É apenas um trocadilho e não é direcionado a ninguém especificamente. O tema foi escolhido para fazer a comunidade pensar sobre a situação geral do País”, disse.

Fonte: Diário da Amazônia