Empresas de ônibus não cumprem contrato e deixam alunos da zona rural sem aula, em RO

Estudantes das comunidades Niterói e Nova Aliança, na área rural de Porto Velho, não estão podendo ir às escolas por falta de transporte público. Segundo o secretário de educação do município, Marcos Aurélio Marques, as empresas responsáveis pelo serviço não estão cumprindo o contrato e uma nova licitação será aberta para a regularização do transporte e, consequentemente, o retorno das aulas.

Segundo o poder executivo, os estudantes da comunidade Niterói, na margem esquerda do Rio Madeira, foram prejudicados com o aumento do nível da água.

“Antes, o trânsito de estudante era feito de voadeira, mas com a cheia, esse modal de transporte foi impossibilitado. Estamos conversando com a empresa para que seja disponibilizado um ônibus para que os alunos tenham acesso às escolas”, explicou o secretário.

Segundo Marcos Aurélio, a Subsecretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Semagric) melhorou a estrada que dá acesso ao povoado para que o transporte dos estudantes aconteça por meio terrestre.

“Até o final desta semana o problema deve ser resolvido. Vamos readequar o calendário escolar para que esses jovens não sejam ainda mais prejudicados”, afirmou Marcos Aurélio.

As readequações, segundo o titular de Semed, devem resultar em aulas nos finais de semana e até nas férias. Na comunidade Nova Aliança, por exemplo, além de não ter iniciado o ano letivo de 2018, os estudantes da escola Chiquilito Erse ainda precisam cumprir 20 dias do calendário escolar do ano passado.

“A prefeitura vai reorganizar o calendário para que os alunos possam finalizar as aulas de 2017 e iniciar 2018 sem maiores problemas”, disse o secretário.

Sobre as empresas, Marcos Aurélio diz que o município está trabalhando por meio legal para resolver a questão. “Depois de resolver o transporte, vamos repor os dias de aula”, acentuou.

Até o fechamento da reportagem, o G1 não conseguiu localizar os responsáveis das empresas que não estão fazendo o transporte escolar.

Fonte: G1